Saturday, Apr. 20, 2019

Artigo: Doce Infância….

Escrito por:

|

21 de junho de 2012

|

Publicado em:

Artigo: Doce Infância….

Dias difíceis, família triste, problemas e mais problemas… É isso que a vida de adulto nos proporciona! Ao menos comigo tem sido assim nestes últimos tempos… A responsabilidade em manter a linha, em pagar as contas, em dar andamento no agora pensando no futuro faz com que depois que crescemos perdemos a graça.

Na última noite, depois de muito choro e consolo, fui surpreendida pelo carinho especial da minha amiga de infância, Daniela Bittencourt, ao qual mantenho amizade há mais de 25 anos. Ela apareceu na minha casa com o famoso “guarda-chuvinha de chocolate”. Abrimos o danado com aquela mesma ansiedade infantil. Comemos e o suspiro: “Nossaaaa!!! Tem o mesmo gosto e ainda gruda no céu da boca”… Que gosto gostoso se sentir criança…

Acho que somos a última geração que viveu sua infância de verdade. Quando eu vi, não acreditei que aquilo era real, que ainda existia… Nossa geração, a dos anos 80, foi a última que ainda acreditava na magia, em fadas, em sonhos, em duendes… Que inventava o próprio brinquedo, não gostava de vídeo-game, e adorava aventura radicais como: tomar banho em barreira e andar de bicicleta sem rumo!

Hoje não se tem mais isso… As crianças parecem robozinhos movidos a controle remoto. Onde seus pais acham que a televisão ou o computador são a melhor babá para cuidar dos seus filhos… Dar cambalhota porque ganhou um chiclete ou levar seis meses para comer uma caixa de bombom que ganhou na Páscoa é coisa para quem realmente valorizada os pequenos detalhes da vida, no caso, nossa geração.

E, minha amiga, na fantástica aventura em busca dos sabores da nossa infância, me surpreendeu novamente esta manhã. Ao abrir meu E-mail me deparo com uma lista de doces que a gente consumia quando pequenas… Aqueles doces que se forem dados para esta gurizada eles te olharão de canto de olho e te acharão doido, pois para eles não tem graça, mas para nós era algo tão mágico que era motivo de festa e comemoração toda vez que nossos pais apareciam com algumas destas guloseimas em casa.

E vale ressaltar que não era sempre que ganhávamos estes quitutes! Não era sempre que nossos pais tinham condições de nos darem o prazer de comer algo doce. Ao contrário de hoje que a meninada exige o que quer comer e aos pais apenas lhes resta atender a pressão dos seus rebentos!

Saborear um chocolate, um chilete, uma bala naquela época era uma sensação de outro mundo! A gente se sentia num mundo encantado, como se aquele momento fosse perdurar para sempre! E o mais engraçado, era que a gente dava um jeitinho de fazer durar mesmo… Quem nunca colocou o chiclete na geladeira para usar no outro dia e depois de salpicar um pouco de açúcar no mesmo para deixar ele docinho novamente? Eu fiz, a Dani fez… Tu também deve ter feito…

Abaixo alguns dos docinhos que lembramos na noite passada e que a minha amiga teve o capricho de achar as imagens. E você? Comeu algum destes?

Nossa!!! Olha o Zorro!!! 

Pirecóptero – Era um pirulito que depois virava esse mini helicóptero. Brinquei muito com ele… 


Chiclete Ping-Pong era o tal que a gente comia, colocava na geladeira e depois enchia de açúcar para voltar a ficar docinho, e assim, a gente ficava uma semana comendo um só (risos)!

Paçoquinha Amor – eram pequenos quadradinhos de paçoca que cabia inteiro na boca. Ai ai ai!

Ki-Suco – Um pacotinho bem pequeninho de puro pó artificial que fazia um litrão de suco. Era preciso muito açúcar para deixar esse negócio doce. E quem nunca ficou com bigodinho ou com a boca manchada depois de tomar um copo desta delícia? (risos)

Tinha também as moedinhas de chocolate. Lembram?

Em cada embalagem era uma SURPRESA. A gente colecionava as figurinhas que vinham no chocolate. E no meio da barra tinha sempre o desenho do bichinho, que a gente comia o chocolate ao redor, para ver depois o só o bichinho em chocolate… (risos)! 

Chocolate Lolo, fofinho… Que coisa mais boa! Depois virou o MilkBar… E depois, não sei mais onde foi parar… Acho que só tem em caixa de bombons né? Ah, e vejam como era a embalagem do Galak!

Chiclete Mini – A gente tinha que comer no mínimo uns três pacotinhos para dar o tamanho de uma goma de verdade. Eles tinham o tamanho de um confetinho. Comi muito deles… Ai ai ai!

As famosas Balas Xaxá – Eram duras, duras.. Grudavam tudo nos dentes, mas mesmo assim a gente fazia a festa com elas! =D

Balas Sugus – Tinham de vários sabores: limão, abacaxi, morango, cereja. Lembro que dividia elas por cores e comia separadas. Era uma diversão cada vez que ganhava dos pais.

Bolete – Bala e chiclete num só! Quer mais? =D

 Azedinho Doce – Comi muitooooo….

Sorvete de Maria-Mole – Vinham com balõezinhos que a gente custava a encher de tão duro que era o plástico! (risos) E também vinham com anéis de plástico colorido para as meninas. Eu tive vários… =D

Leia também:

Share This Article

Related News

Comportamento: Crise de identidade
Cultura: Publicitário criciumense lança livro de poesias e crônicas
Comportamento:  Questões para repensar ou discordar. A escolha é sua!

About Author

mairarabassa



(14) Comentários lidos

  1. Mariléia de Mello
    21 de junho de 2012 at 12:35

    Nossa! Que saudade! Eu tbm degustei todas essas delicias, e logo após a pascoa ou o natal a mãe sempre dava remédio de vermes pq tinhamos comido muitos doces. hehehehe era um verdadeiro encanto a nossa infância.

  2. mairarabassa
    21 de junho de 2012 at 12:45

    Tempo bom que não volta mais mesmo Mariléia... E a gente fica com aquele aperto no coração só de lembrar destes momentos incríveis. Sem falar nos brinquedos que a gente tinha naquele tempo que se dermos para uma criança hoje vão tirar o maior sarro da nossa cara... Se uma fada aparecesse na minha frente hoje e perguntasse o que eu mais querida, eu diria: Me remete aos meus cinco anos, pois lá eu era feliz de verdade!

  3. Éd
    21 de junho de 2012 at 13:52

    Noooossa, eu tenho saudades da goma de mascar azedinha de morango.. era uma delíciaaaaaaa. Pirocópeto brinquei muitooooo e a bala que tem goma de mascar dentro compro ainda de saco no 1,99 kkkkkkkkkkkkkkk

  4. mairarabassa
    21 de junho de 2012 at 13:55

    Jura que ainda tem pra vender estas balas com chiclete? Aonde? Diz que vou procurar... Lembro até do gosto... Saudades.... S2

  5. Carla
    21 de junho de 2012 at 14:35

    Chorei!!!! Saudades! Alguns doces dessa lista tb foram do meu tempo! Ainda compro alguns as vezes só para sentir o gostinho da infância. Mostro para minha filhota para ela conhecer como era... Sem dúvida a melhor infância! Muitos desses vc encontra no Alex Balas, uma lojinha dentro da galeria cavaler, sempre que quero recordar a infância vou lá.

  6. mairarabassa
    21 de junho de 2012 at 15:29

    Ah que legal Carla... Vou convidar minha amiga e dar uma passada por lá e ver se achamos estes doces... Ontem comi o guarda-chuvinha de chocolate... E chorei um monte...

  7. Lígia Breyer
    21 de junho de 2012 at 16:45

    Excelente analogia May, de fato a nossa puerícia é nossa melhor fase quando assim as circunstâncias da vida e do meio onde vivemos nos permitem. Quando lembro da minha infância, recordo tudo com muita saudades e várias sensações boas me vêm à memória. Tivemos uma infância privilegiada e mais livre, mas será que hoje, nas condições de violência e insegurança que assombram o mundo, seria possível viver como antigamente? Na minha concepção não, a não ser que se resida em um belo sítio aos cuidados seguros de adultos responsáveis e mesmo assim ainda carece de cuidados redobrados. Hoje sou mãe e meu filho quando não está na escola, está em casa, mesmo eu morando em um lugar "seguro" e tranquilo o receio por tudo o que vejo acontecer, me fazem manter meu filho mais entretido na segurança do nosso lar. O que posso fazer para meu filho ter um contato mais externo faço, mas ele ter uma infância como a que eu tive, infelizmente não é possível. Beijossss e que Deus abençoe a si e sua família para que tudo seja superado com o mínimo de sofrimento.

  8. mairarabassa
    21 de junho de 2012 at 16:55

    Uma infância igual como tivemos, infelizmente não será possível. Violência sempre existiu, mas não consigo achar palavras para explicar como vivíamos antigamente... Tudo era mais puro, mais simples... E com esse corre-corre e o medo instaurado pela própria mídia, acabamos sendo reféns de nossa paranoia dentro de nossas próprias casas... Acabamos nos enjaulando com medo do crime. Enquanto o crime continua solto e vivendo sua violência sem medo. Mas, continue agindo assim, não deixe de dar ao seu filho a chance de ter uma infância saudável e divertida. Que ele possa no futuro recordar de ótimos momentos, como estes que recordamos acima na postagem. Que ele possa, um dia, daqui há 20 anos, lembrar de quando era criança e como era boa a época em que viveu! Obrigada pelo carinho de sempre minha querida! Um beijo!

    • Lígia Breyer
      21 de junho de 2012 at 16:59

      É verdade Mai! Mas como eu digo, nunca sentimos saudades do que não conhecemos ou tivemos. A nossa nostalgia consiste no fato de que tivemos estas coisas e podemos revivê-las nas lembranças, ou quando acontece algo como aconteceu contigo, comendo um guarda-chuvinhas de chocolate (que por sinal eu também adoravaaaa). Beijosss amada!

  9. mairarabassa
    21 de junho de 2012 at 17:01

    E o gosto do guarda-chuvinha era o mesmo que eu lembrava.... =D

    • Lígia Breyer
      21 de junho de 2012 at 17:04

      É como eu quando comi puxa-puxa no RS! Fora a sensação de estar de novo naquela terra depois de longos anos sem lá ir. Foi um conforto a mais diante das tristezas que lá ocorreram. Viva a infância! Viva as crianças!!!! =D

  10. marcella
    1 de março de 2013 at 17:30

    Realmente, a palavra INFANCIA nunca fez tanto sentido quanto agora. Eu realmente precisava ver esta página no dia de hoje para ter forças para encarar o que tenho que encarar. Você me deu uma grande ale gria hoje. Obrigada por me fazer lembrar o quanto foi bom ser criança. Fico triste em saber qus e os filhos que eu venha ter não terão metade da alegria queetive.

    • mairarabassa
      3 de março de 2013 at 13:06

      Puxa!!!! Ficamos super felizes em saber que o artigo mexeu com suas lembranças... Certamente as mais doces. Não sabemos o que você está passando, quando você diz "encarar", mas saiba que irás conseguir superar mais este momento de sua vida. Pois tenha fé... Deus nunca nos abandona!!!!! Força e coragem!!!!

  11. Pingback: 32 sabores inesquecíveis da sua infância que foram extintos | Curiosidades Atuais

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>