Thursday, Apr. 18, 2019

Comportamento: Mocinho, bandido ou fantoche do sistema. Qual você é?!

Escrito por:

|

23 de julho de 2012

|

Publicado em:

Comportamento: Mocinho, bandido ou fantoche do sistema. Qual você é?!

Que os seres estão em constante estado de evolução sabemos, mas o ser humano tem praticado atos inexplicáveis. Há coisas que não chocam mais, se tornou natural assistir as atrocidades praticadas contra o próximo. Será que estamos perdendo a sensibilidade? Maus tratos à crianças, animais, mulheres, gays, preconceito racial, religioso, partidário, ou seja, pancadaria generalizada, agressões verbais e físicas. O que esta acontecendo?

Os homens responsáveis pela segurança pública envolvidos com bandidos, líderes religiosos e os escândalos sexuais, enriquecimento ilícito, favorecimento político. A classe política caiu no descrédito. Está mergulhada na lama podre no próprio discurso pré-eleição. A mídia por sua vez oscila diante dos assuntos polêmicos ela transforma mocinhos em bandidos como na ficção. As CPIs são fontes inesgotáveis de pautas para programa humorístico e propaganda de pizza. Choramos pelas vítimas do assassino do cinema, mas ficamos indiferentes aos assassinatos nas comunidades podres, julgamos que todos são bandidos. Será?
A ficção é o entretenimento feito para distrair, divertir a população de forma pacífica com gêneros diferenciados. Talvez os programas televisivos não sejam tão inofensivos quanto pensamos afinal de contas é por causa deles que usamos gírias, compramos produtos, serviços, adotamos certos hábitos e mudamos o nosso modo de pensar.

Tudo isso parece bobagem não é mesmo? Então vamos refletir sobre alguns fatos: a cadela atingida por um explosivo jogado pelo ex- integrante da equipe do cantor Thiaguinho. Só foi noticiado não pelo teor da agressão, mas por quem a cometeu e as pessoas ficaram sensibilizadas com as cenas. Quantos animais são vítimas de maus tratos no seu bairro e ninguém dá importância? As cenas do animal ferido despertou a solidariedade em milhares de pessoas.

E falando em mídia vamos analisar as cenas da novela Avenida Brasil: a vilã mata um cachorro, seu capanga agride as pessoas a socos e pontapés, enterra Nina viva. Sem falar em outras cenas apelativas desta trama, no entanto, a audiência desta novela é absoluta. O bígamo que compra e manipula para conseguir enganar as duas esposas fúteis e a amante, os filhos adotados geralmente são mimados e revoltados. Sexo fácil, as trocas de casais durante a trama, chantagem, drogas, roubos e falcatruas. Essa é a essência da novela, o núcleo pobre é sempre ignorante e brega.

Será que tudo isso dever ser encarado como conteúdo fictício e inofensivo ? Podemos então ficar despreocupados com os valores distorcidos repassados às crianças. Ou devemos assistir com um olhar crítico e assim julgar o que está sendo passado de maneira velada a nossa sociedade?

Lembre-se somos seres inteligentes não podemos nos deixar escravizar pelos conteúdos massificados e dominantes.

Por,
Emanuela da Silva
Jornalista e Colaboradora do Site

 

Leia também:

Share This Article

Related News

Comportamento: Crise de identidade
Cultura: Publicitário criciumense lança livro de poesias e crônicas
Comportamento:  Questões para repensar ou discordar. A escolha é sua!

About Author

mairarabassa



(1) Comentário lido

  1. Marilene de Oliveira
    25 de julho de 2012 at 11:23

    Olá Emanuela, dependendo de qual programa que se assista trazem algo de bom e reflexivo, mas como mesmo dissestes e desse como exemplo, a vingança gera vingança, ensinam a malandragem. Lembrei de um programa Profissão Repórter, ontem passou sobre o fechamento do Aterro do Gramacho, crianças brincando no lixão, podendo a qualquer momento se machucar, pegar uma doença infectuosa, com um linguajar e uma esperteza fora de sério, e a duas semanas atrás passou menores trabalhando e não indo a escola. O que se aprende com isso, será que as pessoas se sensibilizaram vendo isso? Quantas pessoas ficaram acordadas para assistir? Acho que muitas coisas devem ser pensadas e analisadas pelos nossos políticos.

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>