Friday, Feb. 22, 2019

Música: A lenda Rolling Stones

Escrito por:

|

10 de abril de 2013

|

Publicado em:

Música: A lenda Rolling Stones

Quem diria que um encontro casual entre dois amigos de infância (Mick Jagger e Keith Richards) numa estação de trem em Londres redundaria, alguns anos depois, na criação de nada mais, nada menos do que os Rolling Stones.  Uma coisa que chamou atenção foi o gosto desses rapazes pelo Rhythym & Blues. E não necessariamente pelo rock and roll. A maior prova disso foi a escolha do nome da banda, uma homenagem à canção “Rollin’ Stone”, de Muddy Waters, um dos ícones do Blues naquele momento.

Desde o início o grande gênio criativo e responsável direto pelo surgimento do grupo foi Brian Jones. Levando-se em consideração que nesse momento o que predominava eram baladinhas românticas, com grupos mais preocupados com a questão estética e o coração das meninas, os Stones fizeram a escolha definitiva pelo visceral. Uma banda forte, um som marcado pela influência do Blues, letras ferinas e um comportamento nada usual com o da época.

OS PRIMEIROS PASSOS

Os primeiros sucessos da banda foram regravações de Beatles, Muddy Waters e Chuck Berry, tanto é, que no primeiro álbum, lançado em 1964, tem apenas uma composição de Jagger-Richards. Apesar disso o LP fez sucesso e, por consequência, as composições próprias foram valorizadas. No ano seguinte (1965) é lançado um outro LP “Out Of Your Heads”, basicamente com composições da dupla. E é nesse momento que a banda lança seu maior sucesso de todos os tempos (I can’t get no) Satisfaction.

OS STONES SE TORNAM UMA REALIDADE

O sucesso estrondoso de Satisfaction – uma das músicas mais executadas em toda a história e iconizada em várias situações – transforma-se em hino de protestos e descontentamentos, tendo como o maior de todos os exemplos a explosão da música feita por um jovem DJ, chamado Adrian Kronauer, na rádio oficial do Exercito Americano, durante a guerra do Vietnã. Embora haja controvérsias, existia sim um clima de competição entre Beatles e Stones. Tanto na Inglaterra, quanto pelo mundo afora.

OS ANOS 70

Essa década teve um início conturbado, no ano anterior o guitarrista Brian Jones foi encontrado morto em sua casa e, ainda em 1969, os Stones protagonizaram um dos episódios mais negros da história do Rock. No dia 6 de dezembro, em um show ao ar livre na califórnia, a segurança do lugar ficou sob responsabilidade dos Hell’s Angels – uns motoqueiros loucos e arrogantes para tomar conta de mais de 500 mil hippies.

A segurança em torno do palco portava porretes e tacos de sinuca e qualquer um que tentasse se aproximar era escorraçado de volta para a platéia.  Claro que acabou em confusão! Em um dado momento,quando os Stones subiram ao palco, um jovem hippie tentou atacar os seguranças, foi apunhalado nas costas e morreu. Apenas no dia seguinte as pessoas ficaram sabendo que quatro jovens morreram naquele festival.

É com essa imagem que eles entram nos anos 70. Nesse início de década eles mudam de gravadora para lançar um selo próprio: Rolling Stones Records. Foi nesse mesmo momento que a famosa logo do grupo foi criada e se tornou um sucesso.

Após inúmeras confusões com a polícia e entre idas e vindas dos componentes da banda para clínicas de reabilitação, grandes sucessos foram lançados: “Tumbling Dice”, “Angie”, “Star, Star”. Em 1974, na gravação de “It’s Only Rock and Roll”, o guitarrista Ron Wood se juntou ao grupo, mas foi apresentado oficialmente apenas em 1975, ano da famosa turnê “Tour Of The Americas”. Eles fazem shows no Brasil, México e Venezuela.

Mais álbuns foram gravados, mais sucessos foram lançados e ocuparam seus lugares no topo das paradas de sucesso.

OS FATÍDICOS ANOS 80

A banda começa os anos 80 tentando se reciclar. Lançaram o hit “Start Me Up” e iniciaram um novo modelo de apresentações: shows com três horas de duração, palcos móveis gigantescos e desmontáveis.  Mas essa foi a década das intrigas e confusões. Com inúmeros desentendimentos entre a dupla Jagger e Richards, o relacionamento entre os membros da banda não era dos melhores. Isso redundou em um trabalho solo de Mick Jagger, algo mais ou menos parecido com a sonoridade dos Stones.

Especulações sobre o fim da banda permearam praticamente todos os anos 80, mas isso não impediu que eles lançassem novos trabalho. O grande lance foi que eles souberam capitalizar essas especulações, transformando o álbum Steel Wheels em um sucesso de vendas estrondoso. Os problemas foram deixados de lado e, após sete anos fora dos palcos, a banda voltou a se apresentar – em 1989. Quem fez o show de abertura nessa turnê foram os Guns’n'Roses, que estavam explodindo naquele momento.

Foi a partir daí que os caras se transformaram em uma banda multimilionária – realmente valeu a pena deixar os problemas pessoais de lado! – conseguindo espaços na mídia nunca vistos antes.

ANOS 90 e 2000

Foram os anos dos relançamentos, regravações e parcerias. Também foi o período dos acústicos, sempre tentando se reinventar. Apesar de continuarem lançando grandes álbuns, é impossível se dissociar dos grandes sucessos do passado. No ano de 2006 os caras estiveram no Brasil e realizaram um show gratuito na orla de Copacabana, para mais de um milhão e meio de pessoas.

Em 2012 os Rolling Stones completaram 50 anos e são considerados como a banda mais antiga ainda em atividade. Para comemorar o feito foi lançado o livro The Rolling Stones: 50 e também foi anunciado um retorno aos palcos. Definitivamente esses senhores merecem nosso respeito!

 

Rolling Stones – Satisfaction

Rolling Stones – Tumbling Dice

Rolling Stones – It’s Only Rock and Roll

 

Rolling Stones – Stat Me Up

 

Leia também:

Share This Article

Related News

Comportamento: Crise de identidade
Cultura: Publicitário criciumense lança livro de poesias e crônicas
Comportamento:  Questões para repensar ou discordar. A escolha é sua!

About Author

mairarabassa



Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>